Todos os esportes estão repletos de Lance Armstrong

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Todos os esportes estão repletos de Lance Armstrong

Mensagem  Diehl em Seg Jan 28, 2013 8:20 pm


Se você esteve fora do ar na última semana ou simplesmente não leu as notícias, fique sabendo que Lance Armstrong – aquele ciclista exemplo de superação que vendeu milhões de pulseirinhas de borracha amarela – deu uma entrevista bombástica à apresentadora Oprah Winfrey e admitiu que trapaceou durante toda sua carreira. Muita gente já sabia que ele havia se dopado, mas naquela entrevista ele admitiu tudo. As trapaças no esporte infelizmente são mais comuns do que parecem. Geralmente apenas aqueles com profundo envolvimento no esporte sabem o que acontece, e eles normalmente fazem vista grossa para evitar problemas com aqueles que os sustentam.

O automobilismo não é diferente: as trapaças são comuns. Sempre foram e sempre serão. Já fiz parte dele, e já vi isso acontecer.
O trabalho do engenheiro não é trapacear. Mas eles tendem a contornar as regras o máximo possível sem quebrá-las. Essa linha tende a ser muito tênue e é facilmente borrada, uma vez que a determinação obstinada pela vitória sobrepõe os valores morais. Eles se justificam dizendo que todos fazem o mesmo e que é preciso fazer isso para vencer. Soa familiar, Lance?

Claro, você também tem pesos-pesados como A.J. Foyt dizendo: “se não te pegam, não é trapaça”.

E por falar em A.J., em 1981 um jornalista impiedoso chamado Robin Miller escreveu no Indianapolis Star que a velocidade de Foyt na reta estava causando burburinho no paddock. Ao saber disso Foyt resolveu acertar as contas com Miller nos pits. A retaliação de Miller veio na forma de um artigo sobre como Foyt sempre esteve envolvido em rumores e histórias mal contadas, e que também dizia que o piloto trapaceou durante toda sua carreira.

Ele fez isso mesmo? Não há provas até hoje, mas eu ficaria mais surpreso se ele não tivesse feito. E não duvide que os demais times também estavam jogando o mesmo jogo.

E isso continua até hoje. Recentemente uma das grandes discussões da IndyCar foi sobre os sistemas de freio tipo “push back”, nos quais as pastilhas são afastadas dos discos de freio nos ovais para aumentar a velocidade. Isso sempre foi feito legalmente nas classificações, mas nas corridas sempre foi proibido pois para voltar a frear o piloto precisa bombear o pedal (como se voltasse a encher o sistema hidráulico) para recuperar a força de frenagem. O que não é nada bom quando se está diante de uma batida.

O piloto Tomas Scheckter declarou recentemente no Twitter: “Trapaceei. Estava em um esporte onde tiraram os freios para andar mais rápido. E forcei a equipe a fazer isso por que todo mundo estava fazendo o mesmo”.

Isso foi dito em resposta ao fiasco de Lance Armstrong. A questão é essa. Lance trapaceou, mas todo mundo fez o mesmo. As coisas funcionam assim nos esportes de degola. E deixando de lado a mentira e o assédio da história de Lance, ele está certo.

Sei de uma equipe da Indy Lights que usa coletores de escape diferentes para os ovais e conseguiu fazer isso devido às “conexões” de dentro da equipe. Já corri contra muitos pilotos (hoje) famosos que tinham componentes altamente irregulares em seus carros e nunca foram pegos.

Da mesma forma eu devo ter corrido por uma equipe que pode ter usado algo ilegal no carro sem o meu conhecimento, para melhorar o desempenho ou não. Em muitos aspectos a arte de um bom engenheiro é fazer isso.

Tudo começa nos karts, onde garotos de 10 anos deixam os pneus imersos em soluções durante a noite para deixá-los mais macios e usam motores que produzem mais potência do que o permitido. É uma prática comum ainda hoje.

As equipes de F1 não estão fora disso. Há muitos anos uma equipe teria supostamente usado um sistema bypass para uma válvula manter o boost mais alto pela corrida inteira. Outras também foram acusadas de usar controle de tração em uma época na qual estes sistemas foram banidos. A cada ano é detectado algum tipo de trapaça, uma vez que os engenheiros estão sempre no limite da legalidade.


No WRC de 1995 a Toyota burlou o regulamento maravilhosamente. Para manter a velocidade controlada, a FIA obrigou o uso de restritores nas turbinas. O Celica GT-4 da Toyota vinha vencendo havia algumas temporadas e os engenheiros da equipe eram alguns dos melhores da categoria. Os engenhosos nerds descobriram uma forma de anular as vedações ao redor do restritor. Além disso, usando molas e grampos especiais, quando o carro estava em movimento e com a turbina pressurizada, o restritor era recuado alguns milimetros, anulando qualquer efeito de restrição de fluxo.

Isso dava aos turbos um aumento de 25% no fluxo de ar, ou cerca de 50 cv extras. Apesar do trabalho dos melhores inspetores técnicos do planeta, a artimanha passou despercebida por algum tempo. Quando foi finalmente descoberta, o então presidente da FIA, Max Mosley, declarou que ela fora “maravilhosamente executada” e “um dos dispositivos mais engenhosos e sofisticados já vistos”.


A NASCAR também está cheia de histórias do tipo. Uma clássica foi quando o lendário mecânico Smokey Yunick instalou uma linha de combustível enorme para armazenar 19 litros de combustível extras. Durante as inspeções, os comissários removeram o tanque mas não descobriram o truque.

Tanques de combustível maiores (e ilegais) também foram adotados na IndyCar há alguns anos. As equipes ainda estão descobrindo métodos diferentes de esconder o macete.

Smokey também protagonizou uma das trapaças mais divertidas da história da NASCAR quando construiu um Chevelle 1966 em escala 7/8. Todos perceberam que havia algo errado, mas nunca conseguiram pegá-lo pois as inspeções técnicas não previam a medição do carro. Com menor área frontal para cortar o ar, o carro encolhido de Smokey acabou com os concorrentes.


A principal diferença deste tipo de trapaça é que ela geralmente é criativa e técnica, de uma forma que substâncias proibidas raramente são.
Como Ben Johnson e Dwain Chambers, ou Diego Maradona – os esportes como ciclismo, atletismo, baseball ou futebol sempre terão trapaças. Alguns escândalos serão maiores que os outros. Algumas pessoas serão pegas. Outras não. À medida em que a tecnologia avança, as oportunidades de contornar as regras diminuem, mas as pessoas sempre tentarão.

No automobilismo há um imenso número de componentes, grandes e pequenos, e isso faz com que seja mais fácil trapacear do que em um esporte como ciclismo, no qual os atletas têm um passaporte biológico.

Como sabemos agora, e já suspeitávamos, Lance Armstrong trapaceou mesmo. Também sabemos que 99% do pelotão profissional também estava trapaceando. Nossos heróis do automobilismo talvez tenham feito algo parecido. Talvez ainda faça, de alguma forma. A.J. Foyt diz que “se não te pegam, não é trapaça”, mas eu não concordo com isso. É sempre trapaça, seja você pego ou não.

O que isso tudo mostra é como a vitória tornou-se uma doença. As pessoas estão dispostas a arriscar tudo em nome da vitória. E aquele desejo extraordinário não leva a lugar algum, a não ser a um futuro com regulamentos mais rigorosos. Os competidores sempre desviarão do assunto, mas o automobilismo, talvez mais que qualquer outro esporte, sempre será cheio de trapaças, sempre em busca daquele centésimo de segundo.

Mas ao contrário dos outros esportes, geralmente não é o atleta quem trapaceia. É um grupo de nerds inteligentes canalizando Smokey Yunick e torcendo para que ninguém descubra suas invenções engenhosas.





Texto escrito por Alex LLoyd, em Jalopnik.com.
avatar
Diehl
Piloto de Stock Car
Piloto de Stock Car

Número de Mensagens : 466
PSN ID : pablodiehl


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os esportes estão repletos de Lance Armstrong

Mensagem  Ricardo Machado em Seg Jan 28, 2013 9:31 pm

Realmente hoje em dia a busca pela vitória se tornou obsessiva demais... O esporte já não tem o mesmo princípio de antes, que era divertir e premiar o melhor, em qualquer modalidade, hoje em dia o "mais esperto" vence, e o único jeito é ir limitando cada vez mais os regulamentos, principalmente no automobilismo, onde trapaças são muito comuns... Mas sabendo que sempre haverá um "espertinho de plantão", estudando o dia inteiro e achando o jeitinho de fazer o carro ser aquele milésimo mais rápido por volta...
avatar
Ricardo Machado
Piloto de Rolemã!
Piloto de Rolemã!

Número de Mensagens : 98

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os esportes estão repletos de Lance Armstrong

Mensagem  felipefraga em Qua Jan 30, 2013 12:00 am

Das pistas aos games o unico que se manteve na linha acho que é o GT pois , Split Second , Burnout e até mesmo o Need For Speed ( HOT PURSUIT ) , tinham metodos de trapacear com batidas ou até mesmo com armas tecnologicas adaptadas no carro , mas no final das contas deram muitas emoçoes aos tres games podendo literalmente acabar com a corrida do adversário .

Gostei deste CHEVELLE Cool !
avatar
felipefraga
Piloto de Stock Car
Piloto de Stock Car

Número de Mensagens : 346
PSN ID : FelipeFraga5

Nivel A-Spec : 21

Ver perfil do usuário http://gtracing.umforum.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os esportes estão repletos de Lance Armstrong

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum